quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Quaresma e pecado

     O Tempo da Quaresma nos convida à reflexão sobre a nossa condição humana e ao que Deus em seu infinito amor fez por cada um de nós. São Paulo é bem claro ao afirmar, que sem mérito algum de nossa parte, Deus retirou do reino do Pecado e nos levou para o Reino de seu Filho, no qual temos a libertação do Pecado e a Redenção. Se não cremos na realidade do Pecado não é possível crer na Redenção. Jesus não nos prometeu a libertação da situação de penúria da natureza humana, da miséria, da tirania, das doenças. Ele nos garantiu a  libertação do Pecado. Pecado como uma realidade que nos tornou afastados de Deus e impossibilitados de nos salvarmos por nós mesmos, eternamente condenadas à separação da comunhão com Deus. Sem nenhuma forma de nos libertar por nossas próprias forças. Nisto consistiu a Redenção por Cristo Jesus. Nos libertar da separação de Deus ocasionada pelo Pecado.
     A modernidade abomina o pecado. Entende este como proibição de tudo  o que traz prazer e proíbe as boas cosias da vida. Afinal tudo  o que é prazeroso é considerado pecado. Sexo sem compromisso, por mero prazer é pecado; Ganância por poder e riquezas, por bem estar material é pecado. E a lista é imensa. Mas o pecado não é em principio,  uma lista de proibições. É um realidade muito maior e mais terrível que a desobediência a um código de leis. É a escolha livre e consciente de um bem que na verdade não é um bem. É se desviar do fim para  o qual foi criado. Da destinação querida por Deus para a criatura humana. Por isto Jesus reconhece que um homem poderá ate ganhar o mundo inteiro, pelo poder e pelas riquezas e mesmo assim arruinar a si mesmo. Não chegar ao objetivo ultimo e o unico verdadeiro. Compartilhar da glória de Deus. Assim comp a planta sem a luz do Sol e sem a agua não poderá sobrevier por muito tempo, sem Deus o homem estará destinado  a secar e destruir-se. A própria etimologia da palavra pecado não indica desobediência a leis, mas tropeço, erro do alvo. O homem tropeça naquilo que ele memso busca como  um bem melhor e tropeçado cai. Caindo não poderá se erguer por sua próprias forças. A não ser que reconheça a queda e grite pro socorro, ficará para sempre prostrado. Só a misericórdia de deus o levanta de novo. E este o convite que Deus faz a nós  pecadores nesta quaresma "Erguei-vos, o Senhor vos chama." 
     A Igreja no Brasil também faz o convite de refletirmos sobre um tema especial. Neste ano a Campanha da fraternidade nos apresenta realidade da juventude no Brasil. Os jovens, de forma geral. são arredio a palavra pecado.  Entendem com restrição de melhores coisas da vida. Talvez a sentido real do pecado, muito mais terrível, ainda não tenha sido percebida por estes. Assim com um viciado em droga é pioneiro de seu vicio, quem vive o pecado é prisioneiro deste vicio. E assim como um atleta em vista do fim a que se propõe aceita um serie de renuncias e treinamento para conquistar um medalha, o cristão roque  acredita na Vida Eterna e melhor, porque crer que conviver com Deus a suprema felicidade, renuncia ao pecado em vista do tesouro maior, da pérola escondida,  a que Jesus comparou o Reino dos Céus. 
     Vivamos esta quaresma cientes  da natureza do pecado.  Porem muito mais firmes e ciente da infinita misericórdia de Deus e da grande vocação a que ele nos chamou, perante a qual os breves prazeres do mundo, nada mais são do que lixo.

Um comentário:

Wilton Salazar disse...

Nossa vida neste mundo confuso precisa de orientação. O tempo quaresmal é um tempo no qual paramos e refletimos para nos orientarmos e nos convertermos. Um tempo no qual vemos nos pequenez pronunciada para a salvação, pois essa qualidade de pequeno leva a nós buscarmos o que é grande em nosso peito a Salvação que vem de Deus. Sejamos firmes na fé em Nosso Senhor, de infinita misericódia